As viagens do Apóstolo PEDRO

Atos 1:8 “Mas recebereis poder ao descer sobre vós o Espírito Santo, e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até os confins da terra”.

INTRODUÇÃO

Estamos no mês de oração pela Obra no exterior. Fora do Brasil, poucos conhecem a Obra e, por isso, muitos servos têm se deslocado para outros países para comunicar a todos, as coisas maravilhosas que o Senhor tem feito entre nós.

DESENVOLVIMENTO

Todos nós precisamos fazer a nossa parte na divulgação da Obra do Senhor a todas as pessoas.
Pedro: Um servo do Senhor (2 Pedro 1:1).

Ponto de partida: derramamento do Espírito Santo – Jerusalém.
Naquele momento, o que diferenciava a igreja das religiões e seitas existentes era a presença do Espírito Santo. Assim acontece hoje: os sinais e maravilhas e a direção do Espírito Santo em todas as coisas, diferencia a Obra das religiões.

Muitas foram as experiências de Pedro na realização da Obra do Senhor. A cada viagem, ele se deparava com uma situação nova. Vamos estudar as quatro viagens evangelísticas, em que ele se depara com quatro pessoas e quatro situações diferentes.
Todas as pessoas tinham algum tipo de ligação com religião, assim como o homem dos nossos dias, e todas tiveram a oportunidade de uma experiência maravilhosa de transformação através da ação do Espírito Santo.

1ª VIAGEM – SAMARIA (ATOS 8:14 A 24)

O evangelho já estava sendo pregado em Samaria (Filipe, dispersão dos crentes). Pedro e João vão visitar a igreja em Samaria.

Simão, o mágico.
Tipo do religioso que vive uma grande ilusão e leva muitas pessoas com ele.
Grande personagem – projeção pessoal – líderes religiosos.

Ilusão em nome de Deus – situação da religião.
Foi batizado – testemunho de compromisso com a Religião. Se depara com uma experiência mais profunda e real.
Deseja comprar a bênção – faz relação de evangelho com bens materiais.
É repreendido por Pedro – O Senhor não aceda este tipo de entendimento e ação com relação às coisas espirituais.
Se arrepende e pede oração para não vir sobre ele o juízo estabelecido por Pedro – O que era uma “grande personagem” agora se humilha diante do Senhor.
Volta para Jerusalém – a casa do Senhor é sempre o nosso lugar de regresso. Precisamos estar sempre em Jerusalém – mentalidade de eternidade.


2ª VIAGEM – LIDA E SARONA (REGIÃO DA CAMPINA DO SAROM) ATOS 9:32 A 35

Estava visitando a igreja em Lida.
Havia um paralítico chamado Enéias.
Enéias –
tipo do religioso escravo do pecado (cama), que não anda no Caminho, é um enfermo espiritual e, em muitos casos, vive acomodado em sua situação.
8 anos paralítico – Enquanto a igreja vive o período da graça, muitos estão paralíticos, sem poder andar no Caminho (Jesus).
Pedro diz: Enéias, Jesus Cristo te dá saúde (te cura) – Só Jesus pode libertar o religioso desta situação e Pedro, que tinha o Senhor no coração, lhe transmite esta bênção.
Levanta-te – a primeira bênção que o Senhor concede é a de libertação do homem da sua escravidão Faze a tua cama – significa apagar as experiências do passado.
Houve conversão das pessoas de Lida e Sarona pelo sinal que o Senhor operou em Enéias – mudos têm se convertido ao Senhor pelo testemunho de transformação que pessoas conhecidas experimentam ao se encontrarem com o Senhor.

3ª VIAGEM – JOPE (ATOS 9:36 A 43)

Enquanto Pedro estava em Lida, Dorcas.
Gazela, animal belo, conhecido por sua beleza –
beleza física (aparência) da religião. Discípula do Senhor, amada em Jope, fazia boas obras.
Tipo do religioso que é todo certinho: amado pelos irmãos, caridoso, realizador de boas obras, mas que não alcançou a vida eterna por isso.
Enfermou e morreu – sem salvação, sem vida.
Os discípulos cuidaram dela – ação da igreja.
Lavaram-na – no Sangue de Jesus.
Levaram-na ao quarto alto (cenáculo) – igreja, lugar da refeição.
Mandaram dois homens chamarem a Pedro – na comunhão, a igreja alcança a bênção.
Viúvas – mulheres com marido morto – Jesus está morto para muitas igrejas.
Chorando e mostrando as túnicas e os vestidos feitos por Dorcas – a religião está desesperada, pois vive de experiências do passado (muitas delas apenas apontam as obras humanas, sociais).
Pedro mandou todos saírem – experiência pessoal do servo ao pagar o preço pela salvação de alguém..

Pedro orou e disse: Tabita, levanta-te – a posição e o convite do servo àqueles que estão mortos para a Obra do Senhor.
Abriu os olhos – primeira experiência-. ver Jesus, a sua Obra, A Luz.
Sentou-se – por si mesma – a pessoa que tem uma experiência com o Senhor, dá o primeiro passo sozinha, apoiada pela alegria da bênção e do retorno da vida.
Pedro deu-lhe a mão e levantou-a – a ação do servo em apoiar e ajudar todos os novos convertidos a firmarem os pés na Obra, no Caminho – Assistência.

Pedro, então chamou os santos e as viúvas e apresentou-a viva – o testemunho de uma nova criatura a Muitos creram no Senhor.

Pedro fica hospedado em casa de Simão o curtidor (oficio indesejável entre os judeus), em sua
casa junto ao mar –
muitas vezes o Senhor nos leva e até nos faz ficar um tempo em um lugar indesejado, mas há uma Obra que precisa ser feita ali.

4ª VIAGEM – CESÁREA (ATOS 10:1 A 48)

1 – Experiência de Cornélio (1 a 8)
Centurião (latin: Cornélio = piedoso), Justo e temente a Deus, que tem bom testemunho –
tipo da pessoa que está na religião, mas quer uma experiência real com o Senhor. Estes estão na religião porque ainda não conheceram a Obra.
Hora nona (3h da tarde) – Experiência com salvação (a morte de Jesus).
Um anjo lhe disse: Cornélio (identificação) – O Senhor o conhece.
A resposta: O que é, Senhor? (reconheceu que era o Senhor) – Ele conhece ao Senhor.
As tuas orações e esmolas têm subido diante de Deus – O Senhor vê e atende a todo aquele que, com sinceridade, o busca e deseja uma experiência real com sua Obra.
Envia homens à Jope e chama Simão Pedro em casa de Simão o curtidor – O Senhor direciona esta pessoa para a Obra.
Dois serviçais – Estes têm comunhão com o Senhor.
Um soldado piedoso – Obediência e amor.

2 – Experiência (visão) de Pedra (9 a 16)

Hora sexta (meio dia) – hora da luta, quando estamos em lutas, aí é que o Senhor nos visita e nos manda fazer a sua Obra.
Teve fome – o servo fiei tem fome de experiências com o Senhor, e elas vêm com a realização de sua Obra.
Subiu no terraço para orar, enquanto aguardava que lhe preparassem a comida – na hora das lutas, devemos “subir”, estar mais perto do Senhor, em oração, e o Senhor nos dará o alimento.
Teve uma visão.
O céu aberto – Uma grande revelação da eternidade.
Um objeto que descia – O Senhor Jesus.

Como um grande lençol atado pelas quatro pontas, vindo para a terra – O evangelho para todo o mundo.
Havia de todos os animais quadrúpedes da terra, répteis e aves do céu – Todas as pessoas, não importa a sua condição.
Foi lhe dirigido uma voz – A revelação.
Levanta-te, mata e come – alimenta-te da Obra, do Evangelho.
De modo nenhum, Senhor, é coisa imunda – Para a religião, a Revelação é desagradável. Por um momento, Pedro teve o mesmo entendimento dos religiosos da sua época e nós não podemos achar que qualquer pessoa é imunda para o Senhor.
Não chames tu comum ao que Deus purificou – o plano de Deus para o necessitado.
Por três vezes isso aconteceu – Por três vezes Jesus perguntou a Pedro: “tu me amas?…”. Agora o Senhor mostrava a Pedro quem eram as suas ovelhas, o seu rebanho.
O objeto tornou a recolher-se no céu – Jesus voltou para a Eternidade, mas sua palavra ficou ressoando em nossos corações. Não duvides, pois eu te enviei – ordem do Senhor para o servo.

3 – A viagem para Cesaréia (24 a 48).

Levou servos de Jope com ele – grupo de assistência, comunhão.
4 – A chegada em Cesaréia.

A experiência na casa de Cornélio – Culto Profético.
Cornélio já havia preparado tudo – chega o momento, e o Senhor sabe exatamente qual é, em que o religioso que quer a bênção do Senhor, está pronto (preparado) para receber a Obra em seu coração (sua casa).
Cornélio o adorou – Ainda não tinha o entendimento de Obra, estava acostumado com a religião “levanta-te, que eu também sou homem” – humildade do servo.

A primeira coisa que alguém na condição de Cornélio aprende na Obra, é que somos servos e que só ao Senhor cabe a honra e a glória. Não é lícito a um judeu ajuntar-se a estrangeiros, mas é ordem do Senhor – não é lícito para a religião viver na revelação, mas é ordem do Senhor.
Cornélio conta a sua experiência – identificação com o culto profético. Na verdade reconheço que Deus não faz acepção de pessoas.
Conheceis o evangelho – a história, Jesus histórico.
Nós somos testemunhas da obra – das bênçãos e maravilhas do Espírito Santo. Jesus ressuscitou – estava vivo e Cornélio não sabia. A experiência ia até a hora nona (morte de
Jesus).
Ele nos mandou pregar – ordem de Jesus.
Dizendo Pedro estas palavras, caiu o Espírito Santo sobre todos – o Senhor honra a posição do servo e derrama do seu Espírito que vai realizar a transformação do homem.

Pode se recusar o batismo nas águas aos que já foram batizados pelo Espírito Santo? – a maior identidade do servo com esta Obra é o Espírito em sua vida.

CONCLUSÃO

(Atos 11: 1 a 18)
Volta para Jerusalém – igreja, nosso alojamento, lugar seguro, nossa casa O testemunho da sua experiência – a experiência de cada servo com a evangelização serve para a edificação de toda a igreja. Pedro era um servo do Senhor e foi necessário que ele fosse a cada um dos lugares descritos na palavra por dois motivos principais:

  1. O Senhor queria usá-lo como vaso em suas mãos.
  2. O Senhor queria edificá-lo, dando-lhe a oportunidade de viver as experiências. O Senhor tem um projeto de experiências para nós na realização da sua Obra, para isso é necessário estarmos cheios, do Espírito Santo e dispostos a ir onde o Senhor mandar.

Você pode gostar!

Tira da prata as escórias – Provérbios 24:5

JESUS É A ALEGRIA DA SALVAÇÃO ‬ – João 16:22

OS QUE ESCAPARAM – Jeremias 51:50

MENSAGENS PARA FAMÍLIA – 1 Samuel 17:17-18

AS FAMÍLIAS E A GLORIFICAÇÃO – 1 Crônicas 16:28


Conheça o nosso Parceiro Portal Revelação. São milhares de Pregações e Sermões Bíblicos de alta qualidade.

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.